3ª consulta do pré-natal, 12 semanas de gestação

Sexta-feira (16), fui ao médico, a 3ª consulta do pré-natal. Levei o resultado da primeira ecografia e sim, gente, está tudo bem com a pequena ou pequeno a caminho. Só voltarei lá daqui a um mês. Até agora, desde o começo da gravidez, só engordei um quilo. Entre a segunda e terceira consulta, não aumentei um grama sequer. Viva la vita! Dizem que é bom, porque nos últimos meses a gente ganha muitos quilos. Desde que o bebê esteja bem, eu não me importo.

Aproveitei para tirar algumas muitas dúvidas, que talvez sejam as mesmas de algumas outras mamães por aí.

  • Até quando e por que devo tomar ácido fólico? Recomenda-se a ingestão de ácido fólico para evitar a má formação fetal que pode ocorrer nos primeiros meses da gestação. A partir da descoberta da gravidez, deve-se ingerir a vitamina até o fim da décima segunda semana ( se ainda sobrarem comprimidos na cartela, não tem problema tomar até acabar, mesmo passadas as 12 semanas).
  • Sexo na gravidez, pode? Pode e não há mal algum. A não ser em casos especiais, quando há algum risco para a gestação. Claro que com o crescimento da barriga, as posições vão ficando limitadas. Há uma pesquisa que diz – mas não é definitiva – que lá pelo sexto mês, as relações sexuais podem ser causadoras de infecções pélvicas. Mas, segundo o doutor, é tudo ainda muito prematuro, não há confirmações.
  • Atividades físicas – daqui a 15 dias poderei iniciar algum tipo de atividade física. O médico me recomendou duas: pilates para fortalecer a musculatura lombar, ajudando a suportar o peso da barriga, e pélvica, o que ajuda na hora do parto. A outra é hidroginástica. Ambas voltadas para gestantes.
  • H1N1 – o ideal é que eu já tivesse tomado a vacina anteriormente, por ora, não preciso ingerir nenhum tipo de medicamento. Só aguardar a nova leva, que deve ser liberada pelo Ministério da Saúde em maio.

Sobre a alimentação, continuo seguindo as recomendações da segunda consulta. Evitar alimentos ácidos, que causam gases e azia, e alimentos cultivados em contato direto com a terra, como alface, cenoura etc. O ideal é que sejam hidropônicos. Isso porque é muito arriscado adquirir toxoplasmose durante a gravidez, e como os gatos enterram seus dejetos na terra, principal hospedeiro da doença, os alimentos podem estar contaminados.

Há mais duas ecografias para fazer. Na verdade, três. A primeira é a ecografia do aparelho urinário para verificar uma suspeita do médico de que eu possa estar com princípio de pedra nos rins. As outras duas, aproveitei para buscar mais informações em outro blog, o demaeparamae.pt.

Translucência nucal: Este exame é feito entre as 10 e as 13 semanas, e serve para predizer o risco do bebé sofrer de síndroma de Down. Este exame mede a quantidade de fluido acumulada na parte de trás da nuca do bebê, ou seja a espessura da prega da nuca, que, se estiver aumentada, pode indicar uma eventual síndroma de Down. O médico usará a medida feita pelo scan, a sua idade e um teste sanguíneo para medir o risco desta possibilidade. Se o risco for mais elevado que 1 em 300, poderá ter de fazer uma biopsia do vilo corial (as células são extraídas da placenta com uma agulha ultrafina) ou uma amniocentese (o fluido é extraído do saco amniótico à volta do bebé).

Ultrassom morfológico: Esta ecografia é feita à maioria das grávidas cerca das 19-20 semanas de gravidez para detetar possíveis anomalias no bebê. São medidas a circunferência da cabeça e do abdómen do bebê e o seu coração, cérebro, coluna vertebral e membros. Nesta altura também já poderá descobrir o sexo do bebê.

Agora, talvez vocês queiram saber para quando está previsto o nascimento do bebê de acordo com as contas do médico: 30 de setembro. Uhuuu! E como estou ansiosa, acabei gastando uma baba num exame de sexagem fetal no sabin. O resultado sai no final desta semana, daí saberemos se é menino ou menina.

2 comments

Responder