Viajando de carro com um bebê de dois meses

Viajar com um bebê não é tarefa fácil, mas é perfeitamente possível e pode ser muito prazeroso. Neste final de ano, decidimos arriscar uma viagem de carro com Bia e deu tudo certo.

Fomos de Brasília à Sacramento/MG e como são mais de 500km de distância e cerca de 6 horas de viagem de carro, a escolha do horário de saída foi crucial: à noite. Como Beatriz dorme à noite toda, deixamos para realizar o trajeto enquanto ela dormia, assim ela não se entediou tanto no percurso.

Paramos apenas no horário em que ela acorda normalmente para sua primeira mamada do dia, por volta das 7h da manhã, e depois seguimos viagem. Paramos novamente para nos alimentarmos e dar um passeio com Bia, porque ficar horas deitada no bebê conforto não deve ser tão confortável assim.

O destino era a represa da usina de Jaguara. Um lugar de muito verde e tranquilidade. Como fazia muito calor e água da represa estava morna, até Bia entrou na água. Todos aproveitamos.

bebê tomando sol na sombraApesar de não ser indicado para menores de seis meses, não abrimos mão do protetor solar e do repelente. Mas, não recomendo a ninguém, apesar de ter sido bom para Beatriz. Porque esta tolerância pode variar de criança e por sorte ela não tem nenhum tipo de sensibilidade. Também não abusamos, fazendo uso em pequena quantidade.

Na pousada tinha crianças e bebês de todas as idades, um lugar bem família. Outro ponto a ser considerado, o ambiente. Afinal, a criança já terá que passar pela transição de sair do seu cantinho, do seu lar para um lugar completamente diferente. É preciso, apesar de não estar em casa, não sair da rotina do bebê. Hora do banho, das mamadas e de dormir devem ser respeitadas.

Mas o mais bacana de tudo isso é, além de promover o descanso e a interação familiar, iniciar a adaptação da criança em estar em locais que não seja a própria casa. Mais pra frente isso poderá fazer diferença no comportamento dela fora de casa. Lembrando que cada um tem seu tempo e seu modo.

Bebe sorridente no bebê conforto

O que levar na viagem com um bebê?
Muitas roupas para o bebê – pense em duas a três roupas para cada dia
Sling ou canguru – dependendo da programação, o carrinho pode não ser o transporte ideal e carregar no colo é bem cansativo
Carrinho de passeio – para percursos longos e que permitam o veículo
Fraldas – muitas, muitas para não passar por aperto
Toalhas e todos os objetos essenciais do bebê
E não se esqueça: segurança é fundamental. Bebê ou criança, só no assento correspondente à sua idade e/ou peso e com uso correto dos equipamentos de segurança seja do bebê conforto, da cadeirinha ou do próprio veículo. Assim, todos aproveitam e sem riscos.

5 comments

  1. Jazz says:

    estava com saudade dos posts!!! Continue sempre! São de muita valia!!!

    Na verdade, quanto ao uso do repelente, você poderia mandar fazer um hipoalergênico nessas farmácias de manipulação e usar apenas os filtros solares físicos (como uma fralda sobre a criança ou uma sombrinha) que protege sem química, quando for andar no sol =D

    Vou repassar o post =D Adorei!

    • Jéssica Macêdo says:

      Oi, Jazz! Beatriz não tem me permitido muito atualizar o blog. Este post mesmo fiz pelo celular. Deve estar cheio de errinhos rs. Gosto muito das suas reflexões sobre os posts, sempre aprendo. Talvez eu tenha sido super protetora quanto ao protetor solar, porque além dele, usei um guarda sol todo colorido que comprei pra ela rsrsrs. Sobre o repelente, agradeço muito a dica. Já vou anotar para a próxima viagem que espero não demorar muito pra acontecer.

      Beijos, feliz 2013!

  2. guto carvalho says:

    É bom levar um carrinho tipo ‘guarda chuva’ para não ocupar muito espaço no carro. Nós não levamos o carrinho oficial pois ele sozinho ocupava todo o porta malas, mesmo assim, no meio da viagem acabamos comprando esse carrinho em Uberlândia, fizemos isto pois apesar dela andar tranquila no canguru, se sente muito mais confortável no carrinho, principalmente nesse carrinho tipo guarda-chuva, nele ela senta de frente e não de costas como no bebê conforto, foi um novo mundo para essa moça curiosa.

    A Bia é grande para sua idade, tem peso e altura acima da média, logo ela se adaptou bem no carrinho guarda chuva, mas outros bebês com 2 meses podem não se sentir
    seguros no carrinho (tanto eles quanto os pais), os bebês podem ficar soltos e se machucar então tome cuidado, cada caso é um caso.

    Outro detalhe, prefira quarto triplo se tiver condições, assim tanto o pai quanto a mãe podem dormir sem se preocupar com o bebê no meio deles. A Bia ficou numa cama só para ela (se esparramou). Nós usamos o travesseiro rolinho para a Bia não rolar ou cair da cama, ela dormiu tranquila na cama ao lado da mãe (juntamos as camas) nada como uma boa noite de sono para a família, isso faz toda a diferença nesse tipo de viagem.

    Na volta a Bia estava naturalmente mais cansada e fizemos paradas a cada 150/200 KM para ela esticar as pernas, mamar, trocar fraldas e relaxar, uma viagem de 6 horas vira 12 horas fácil. A lição é não ter pressa ao viajar com um bebê, vá no tempo dele
    para que não fique traumatizado com a experiência, se for o caso pare em um hotel, tome um banho, dê um banho no bebê, durmam um pouco, após descansar o suficiente retome a viagem (nós fizemos isto e valeu a pena).

    Na volta, o primeiro dia da criança fica um pouco bagunçado, a Bia demorou para dormir, mas acredito que isso seja normal devido ao retorno ao lar e ao cansaço do dia anterior, ela ficou um pouco agitada e irritada, mas no outro dia já estava bem melhor e mais descansada.

    Vale comentar que a Jéssica teve uma ideia ótima, ela comprou um tatame colorido e usamos ele na praia da represa para a Bia sentar e deitar tranquila, é melhor que uma
    simples toalha pois a praia era de pedrinhas e não areia, ficou mais firme, limpo e seguro para mãe e filha curtirem o visual enquanto o pai estava mergulhando.

  3. marcela says:

    Quero viajar com meu bebe de dois meses, mas estou preocupada pois pego muita serra, o que pode prejudicar os ouvidinhos. Alguem ja viajou? Me deem uma luz.

    • Jéssica Macêdo says:

      Marcela, nesse trajeto que fizemos com nossa filha havia muita serra no caminho e ela não demonstrou nenhuma irritabilidade ou alteração por conta disso. Eu sentia um pouco da pressão e já ficava de olho nela. Acho que, se houver alguma alteração, vale parar o carro de dar peito. BEijos

Responder