A Galinha Pintadinha e o sentimento de ser uma péssima mãe

A Galinha Pintadinha fez eu me sentir uma péssima mãe. Não, pera! O uso que faço da Galinha Pintadinha é o responsável por este sentimento. Simplesmente porque resolvi buscar, após sete meses de GP em loop aqui em casa, informações sobre o uso desses vídeos infantis para bebês muito novinhos.

Sendo bem franca, joguei no Google: bebês podem assistir à Galinha Pintadinha. Depois de aparecer no resultado da busca alguns vários vídeos de bebês assistido à dita cuja, surgiram alguns textos sobre o tema “televisão para bebês”. Há um consenso: TV para bebês não é bom. É péssimo!

Oh Gosh! Me lembrei da primeira vez que expus minha pequena à tela do computador que transcorria um vídeo da Galinha Pintadinha. Ela tinha apenas um mês. Beatriz chorava como se o mundo fosse acabar e eu precisava que ela se acalmasse para banha-la. Eis que me surgiu a ideia. Joguei no Youtube “Galinha Pintadinha” e cliquei no primeiro vídeo que apareceu. Pronto! Num instante Beatriz cessou o berreiro e concentrou-se no pó pó pó.

Esta foto está no meu Instagram, @jemacedo. Beatriz assistindo à Galinha Pintadinha há umas 10 semanas.

Esta foto está no meu Instagram, @jemacedo. Beatriz assistindo à Galinha Pintadinha há umas 10 semanas.

Como a primeira experiência funcionou como um passe de mágica, adotei a Galinha Pintadinha para nossas vidas. É na televisão, no computador, no ipad, no iphone. Em qualquer ocasião, em casa, na rua, no carro, na casa dos avós, no restaurante. Não me limitei a apenas um vídeo, são os três DVDs com todas as suas músicas e animações há sete meses nesta casa. Já sei todas as músicas e até os passinhos que as galinhas fazem no início de cada DVD.

E agora? Será que o estrago é grande? Nunca conversei sobre isso com o pediatra, porque, de verdade, nunca refleti sobre o assunto. Beatriz tem o desenvolvimento normal e até um pouco mais acelerado do que a médica. Não sei se é resultado da exposição à televisão, que confesso, foi grande até aqui.

Ultimamente ela não tem se interessado por Galinha Pintadinha nem outro que o valha. De certo enjoou ou está em outro nível de desenvolvimento, mais social. Enfim. Agora ela prefere seus brinquedos, a companhia de seus cuidadores, a distração dos três felinos que tenho em casa.

Ah! aqui, um trecho de um dos textos que eu li, para contextualizar meu desabafo.

Contrariamente a todos os conselhos médicos, os pais tem achado bonito ver seus filhos de poucos meses hipnotizados pela galinha. Diga-se que a moda é a Pintadinha, mas poderia ser qualquer coisa alçada a entretenimento infantil.

Já vi mãe se vangloriando de seu bebê de 3 meses amar os dvd’s da moda, mas, no entanto, qualquer pessoa com QI acima de 1 percebe que quem ama a hipnose provocada na criança são os próprios pais. Afinal, né, como não amar alguma coisa que nos livre um pouquinho da trabalheira que é criar uma criança? E os bebês vão sendo  bombardeados pelas telas desde a mais tenra idade. (Febre da Galinha Pintadinha e a falta de bom senso. Blog em Geral. 2012)

 

Afinal de contas, faz mal ou não expor o bebê à televisão? Em pouca quantidade, parece não haver problema. O mal, para variar, está no excesso. É o que dizem. O que você acha?

3 comments

  1. Layane Martins says:

    Nunca gostei de tv, conheci a Galinha Pintadinha quando minha filha tinha 3 meses, ela viu bastante, mas só pela manhã quando precisava fazer algumas coisas. hoje ela já tem 2 anos, estava viciada na Dora Aventureira, tirei já faz duas semanas que ela não assisti. Pela manhã sempre coloco alguma coisa, mas gosto de variar, com Aline Barros, Diante do trono, tia Ceceu e outros. hoje ela não assiste mais galinha pintadinha, já esta começando a gostar de filmes. na minha opinião criança não deve ficar muito tempo na TV.

    • Jéssica Macêdo says:

      Ane, hoje Bia já se distrai com outras coisas. Não tenho mais o remorso que tinha quando escrevi esse post. A Galinha Pintadinha é só uma animação que resgata cantigas presentes, inclusive, na minha infância. Acho que você tá certa, tem que variar e nunca expor de mais crianças à televisão. Beijo pra você e pra sua filhota linda!

Responder