Mãe estudante

Quando descobri minha gravidez, estava planejando um intercâmbio para aperfeiçoar o meu contestável inglês. A notícia de uma nova vida a caminho mudou tudo. Seria complicado ser mãe e estudante no exterior por um mês. Durante a gestação, continuei frequentando as aulinhas de inglês até onde meu barrigão permitiu, ao fim do dia eu já estava exausta do trabalho e depois tinha que correr para o cursinho. Faltando um mês e meio para Beatriz nascer, larguei o inglês e me dediquei ao trabalho e aos preparativos para sua chegada. A sensação que eu tinha era: fim da linha, colega! Este é apenas um demonstrativo da vida de mãe que vem por aí. Você nunca mais vai estudar. E juro, adoro estudar.

Beatriz nasceu e esta sensação ficava cada vez mais forte, transformando-se em fato consumado. Entre mamadas e trocas de fraldas, não conseguia enxergar a menor possibilidade que fosse de voltar à uma sala de aula. E puxa, eu sonho em dar continuidade aos estudos, fazer mestrado, doutorado… Até saber de um curso de SEO (Search Engine Optimization) para jornalistas que seria ministrado em Brasília. Coisa rara por aqui e da qual gosto muito. Beatriz estava com recém completados dois meses. Me matriculei, me organizei com minha mãe e o marido e fui. Foram três dias de aula com o simpático e competente Klaus Junginger. Valeu a pena. Serviu, além de todo o aprendizado, de estímulo.

mãe formanda segurando um bebê

Sou mãe e estudante, acabei encontrando um post de outra mãe blogueira sobre o assunto, adorei.

Pouco tempo depois, com a rotina estabilizada no lar, me peguei com o tempo livre. Nem acreditei! Após três dias seguidos com Beatriz dormindo às 19h30 e eu sem ter o que fazer – afinal, já não sabia fazer mais nada além de cuidar de um bebê -, decidi que não ficaria parada. Apesar de não poder sair de casa, por não ter com quem deixar Beatriz à noite, resolvi estudar.

Busquei por bons cursos de pós-graduação à distância na minha área. Encontrei um que se encaixava nos meus anseios e me matriculei. Estou há quatro meses fazendo Gestão e Marketing Digital à Distância pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), do Mato Grosso do Sul, e tenho aprendido muito. Fiquei com receio de não ter disciplina, do curso online não ter qualidade didática, mas fui assim mesmo e não me arrependo.

Posso dizer com todas as letras que estou satisfeita por conseguir ser outra coisa além de mãe da Bia. Estagnar os estudos sempre me causou pavor. Hoje, sou mais que mãe estudante, sou profissional, sou mulher e sou feliz, além claro, de ser blogueira (rs). Sem querer, acabei redescobrindo o conceito se você quer, você pode. Fica a dica, mamães.

4 comments

  1. guto carvalho says:

    Pelo que vejo, ter um super marido ajuda a ser uma super mãe, e essa é uma análise isenta 🙂

  2. Camila Leite says:

    Nossa esse seu texto foi um tapa na cara – risos – confesso e também uma injeção de ânimo! Estou com 5 meses e perdi o último período da faculdade por causa dos enjoos. Mas estou me sentindo bem melhor com relação à gravidez e decidi voltar aos estudos enquanto minha bebê não chega. Também faço jornalismo e estou ansiosa para voltar à sala de aula e vou buscar não desistir mesmo depois da bebê nascer. Quero estudar online, para não ter de parar.

    Adorei seu blog, beijo e um cheiro nas crianças! 🙂

    Camila Leite

    • Jéssica Macêdo says:

      Olá, Camila!

      Que bacana saber que de alguma forma posso ter te ajudado!
      Se precisar de algo, conta comigo. Do jornalismo à maternidade, #tamojuntas!

      Beijos

Responder