Foto de vagina parindo é artigo de luxo

Parir é mesmo uma guerra. Até quem já pariu pode não saber disso, mas do lado de lá existe, além de um sistema mercenário e nada humanista, um machismo tosco e ameaçador.

Porque só o machismo arraigado na nossa cultura levaria uma mulher a tratar o órgão reprodutivo feminino com tanto asco e termos chulos. A negação da capacidade feminina é tão grande, que sequer a colunista – que não vou citar nome pra não dar ibope – mencionou o nome próprio do órgão: vagina.

geburt

Pra gente assim, o órgão não deve ser exposto em sua capacidade plena de trazer outra vida ao mundo, porque isso é nojento e choca toda criatura que acha que vagina só serve para fins recreativos e que nascimento deve ser aquela data na agenda reservada para uma cirurgia de extração de bebê. É uma pena. Porque gente assim não será capaz nunca de se libertar do preconceito para viver a vida como de fato ela é.

Se eu consegui superar o sistema e usar minha vagina pra trazer meu filho ao mundo, foi graças as centenas de vaginas que vi se abrindo na timelinda das minhas redes virtuais. Porque parir já está se tornando algo tão raro, que deve sim ser celebrado e exposto sem censura. Foto de vagina parindo é artigo de luxo.

Não se ofendam com o que a tal colunista disse. Ela não faz ideia do quão gostoso é parir. Eu quero ibagens. Quero continuar vendo as “prexecas sanguinolentas” de vocês dando mais cor ao mundo do nascimento.

2 comments

    • Jéssica Macêdo says:

      Camila, adorei seu relato de PN e pensar que você quase perderia esse momento único para uma cesariana hein?! 41 semanas não é limite pra já cair na faca, ainda bem que Helo veio antes. Parabéns pela filhota e obrigada. Beijão

Responder