Plano de parto do Artur

Quem busca por um parto humanizado, já deve ter ouvido falar do plano de parto, documento entregue por você à equipe que irá acompanhar o parto e fará os cuidados iniciais com o bebê. No geral, somente médicos interessados em respeitar todas as suas vontades irá falar desse documento para você. Nele, constam todas as orientações de como você deseja o seu trabalho de parto, o parto e o pós-parto, incluindo os cuidados com o bebê.

Decidi compartilhar meu plano de parto com vocês. Em breve, colocarei aqui como foi elaborar o planod e parto e também o que saiu como o planejado e o que não saiu.

Plano de Parto

Hospital, Equipe Médica e Acompanhantes

Mãe: Jéssica Martins Macêdo
Pai: José Augusto da Costa Carvalho (GUTO)
Bebê: Artur Macedo Carvalho

Local: Maternidade Brasília
Data provável do Parto: 27 de março de 2014.

Ginecologista obstetra: Dr. Petrus Sanchez
Doula: Vanja Mendes
Fotógrafa: Kathlen Amado
Avó: Cleudete Martins Pereira

Desde a minha primeira gestação, da qual nasceu Beatriz, desejo o parto natural. Por não ter conhecimento necessário sobre a tendência médica-obstétrica brasileira fui submetida à cesárea eletiva sem a chance de contra-argumentar. Não quero passar por isso novamente e tenho lutado para ter meu direito de parir respeitado. Este plano de parto tem justamente o objetivo de esclarecer como pretendo ser protagonista do nascimento do meu filho e espero que ele seja seguido, na medida do possível.

A palavra de ordem é natural. Ou seja, quero que tudo ocorra da forma mais natural possível, com o mínimo ou nenhuma intervenção. Tenho preparado meu corpo para que tudo seja conduzido por ele. Ao perceber o possível início do trabalho de parto, desejo que minha doula seja comunicada para me orientar a identificar se há mesmo um TP engrenando.

Havendo um TP, quero que minha doula, a fotógrafa e minha mãe venham para minha casa. Havendo dúvida se há ou não TP, quero ser avaliada pelo meu obstetra. Quero retornar à minha casa, onde pretendo ter boa parte da primeira fase do TP.

Caso eu não me sinta à vontade com a presença de mais pessoas na casa ou se todo o movimento assustar minha filha Beatriz, quero ser levada à Maternidade Brasília para dar continuidade ao trabalho de parto na Sala Humanizada.

Se Beatriz aceitar bem os cuidados de outras pessoas, gostaria que minha mãe fosse para a Maternidade Brasília me acompanhar durante o trabalho de parto. Caso contrário, peço que ela fique com Beatriz e a leve consigo e meu pai para a maternidade tão logo Artur nasça. Quero que Beatriz conheça o irmão ainda no dia do nascimento.

Independente de onde se realize o trabalho de parto, quero estar acompanhada por Guto, por Vanja e Kathlen. Quero ingerir líquidos como chás, água, isotônicos e água de coco. Ingerir alimentos leves como sanduíches naturais e tapioca, frutas como morangos, banana, laranja e melancia. Quero ingerir chocolates – de preferência Diamante Negro e Laka.

Conto ainda com um ambiente mais silencioso, sem conversas paralelas ou se elas existirem que seja em baixo tom. Gostaria de ter música e luz suaves. Havendo como, quero que a temperatura seja adequada conforme minha necessidade. Quero toda a liberdade de movimentos, de usar o chuveiro ou banheira, bola e ser orientada sobre quaisquer outros meios para aliviar a dor naturalmente. Quero ser orientada sobre os métodos naturais de alívio da dor durante o TP. Quero ter camisolas e lençóis limpos à disposição. Quero que não me realizem nem lavagem intestinal, nem tricotomia. E que o número de exames vaginais seja reduzidos ao mínimo possível.

No expulsivo, quero estar acompanhada de Guto, Kathlen, Vanja e Petrus. Quero realizar o parto na posição de cócoras ou na que eu achar mais adequada no momento. Quero ter liberdade de movimentos, de música suave, podendo optar por silêncio total a qualquer instante. Quero tocar a cabeça do meu bebê assim que ele coroar.

Se eu solicitar, quero que me seja aplicada medicação para alívio da dor apenas se já houver tentado métodos naturais. Quero ser apresentada as opções e junto com Guto decidir qual o melhor método. Para isso, quero ser apresentada a todos os riscos e benefícios de cada método, e conto com minha doula para ajudar a escolher.

Se houver necessidade, quero que seja aplicada ocitocina após ser consultada. Também permito o rompimento artificial da bolsa apenas se houver necessidade e após ser consultada. Não quero que seja realizada episiotomia.

Ao nascer, se o bebê estiver bem, quero que ele seja imediatamente posto em meus braços, em contato pele a pele ou nos braços do pai. Quero que Guto corte o cordão após este deixar de pulsar. Quero que o bebê fique comigo o tempo que eu determinar, desde que em segurança e que qualquer procedimento no meu bebê seja realizado apenas na minha presença e/ou na de Guto. Quero que o bebê fique em alojamento conjunto comigo o tempo todo de internação.

Quero ver minha placenta e que parte dela seja resguardada e preservada em utensílio e material próprios para posteriormente ser utilizada para fins homeopáticos.

A possibilidade de ser realizada uma cesariana, me deve ser apresentada apenas se já houver se tentado todas as vias naturais de nascimento e se for em caso de risco de morte para o bebê. Havendo a necessidade fazê-la, quero que seja feita na presença de Guto e Vanja e que seja aplicado corticóide para reduzir os efeitos da cicatrização.

Quero que Guto acompanhe todos os procedimentos realizados com o bebê independente da via e do local de nascimento. Quero que ele seja consultado antes sobre a realização de exames, de aplicação de medicamentos e quaisquer outro procedimento protocolar no meu bebê. Não quero que seja aplicada a vitamina K, nem nitrato de prata em Artur. Quero fazer a amamentação do meu bebê sob livre demanda.

Declaramos estar cientes dos riscos de cada escolha e da possibilidade de não haver como seguir todas as indicações desse plano de parto. Mas desejamos que ele seja seguido na medida do possível e que sejamos consultados sobre qualquer mudança e que a escolha seja nossa, minha e de Guto.

 

Brasília, ____ de ______________ de 2014.

 

________________________

Jéssica Martins Macêdo

 

________________________

José Augusto C. Carvalho

8 comments

  1. Cristina Barth Berbeth says:

    Achei muito legal,mas me sinto frustrada em pensar que no meu parto que provavelmente será pelo SUS mesmo que eu faça um plano nada dele será cumprido nem ao menos lido.Poderia ser diferente :/

    • Jéssica Macêdo says:

      Cristina, infelizmente o SUS ainda está longe de ser a realidade que ele prega. Está caminhando, mas ainda está longe. De onde você é? Onde você mora existe Casa de Parto? É o que temos de mais humanizado no SUS e que respeitaria seu plano de parto. De toda a forma, tenha alguém com você no dia. É garantido por lei.

      • Cristina Barth Berbeth says:

        Eu sou de Curitiba e acho que não tem casa de parto por aqui…Por enquanto vou me informando,pesquisando e lendo muito para garantir meus direitos.

        • Jéssica Macêdo says:

          Faça isso e avalie também a possibilidade de um parto domiciliar. Você consegue. Beijocas

    • Maíra says:

      Oi Cristina. Tudo bem? Não sei onde voce mora, mas minha prima teve o bebê há 1 ano e meio atrás e ela também teve pelo SUS. O parto dela foi humanizado e ela amou!!!! Ela teve a Inês no Hospital Sofia Feldman. Espero ter ajudado 🙂

      Bjs Maíra

  2. Maíra says:

    Olá Jéssica!!! Amei o seu post e é exatamente o que busco para mim e para a minha filha que chegará em meados de Março. Moro também em Brasília, porém o meu plano de saúde não inclui a Maternidade de Brasília. Você saberia me informar se há em Brasilia profissionais e maternidades que fazem o parto humanizado, mas que aceitam convênio?

    Bjs grande,

    Maíra

    • Jéssica Macêdo says:

      Olá, Maíra!

      Que bom que você está buscando o melhor para vocês duas. Porém, sinto lhe dizer que pelo plano de saúde as chances de um parto humanizado são zero e a de um parto normal são raras. Se quiser, podemos conversar melhor sobre isso. Já escrevi um post aqui: http://www.mesintogravida.com.br/2014/06/medico-de-convenio-nao-faz-pn/ Entretanto tem um médico aqui em Brasília com algumas histórias positivas de parto normal pelo convênio, Dr. Marcondes. Acho que atende no Santa Lúcia. Não tenho certeza. Se você ainda estiver no início da gestação, sugiro juntar um dinheiro e procurar quem lhe garanta o parto natural. Beijão

Responder