Boas lembranças de natal

Uma das minhas lembranças favoritas do Natal quando criança é a ansiedade que a aproximação causava. Aquela coisa toda dos preparativos, de uma boa faxina na casa, do preparo da ceia, ah isso, sim, era legal. A família toda trabalhando por uma causa comum. Meu irmão mais novo e eu tínhamos uma mesa de plástico, daquelas infantis, e o auge da nossa colaboração era lavá-la com esponja, detergente e água da mangueira. Lembro sempre disso quando chega o natal.

image

Bia e Artur no esquenta da 'Cantata de Natal' da escola

Agora estou aqui, com duas crias e uma delas já percebe as mudanças no cenário com a proximidade do natal. Longe de entender a coisa comercial da data ou  religiosa, Bia vê o natal como a temporada das luzes. Ela se encanta com a decoração luminosa que toma conta da cidade – ainda que este ano esteja bem pobrinha aqui em Brasília.

“Olha, mamãe! O natal!” e aponta para o pisca-pisca na sacada do alto de um prédio. Ela tem pavor do Papai Noel, mas sempre pergunta por ele, pois associa sua presença à existência de luzes que “danxam”.

Como no ano passado a árvore de natal que montei aqui em casa ficava mais no chão que tudo (um viva a uma bebê de pouco mais de um ano e três gatos fanfarrões), este ano não coloquei nada de decoração natalina. Resultado: já tive que ir pra pracinha oito e meia da noite pra que ela pudesse ver o “natal dos pédios”.

Na casa dos meus pais, a tradição de montar a árvore não falha e Bia participou ativamente neste 2014. Ajudou a erguer, colocar galhos, bolinhas, sininhos e, claro, o pisca. ” Natal da vovó! “.

O bacana dessas datas é isso. Mais do que dar e receber presentes, mais do que todo o contexto cristão por trás delas, é proporcionar bons momentos que se tornarão boas lembranças no futuro.

Não estou dizendo para se omitir das suas crenças – eu mesma não me omito das minhas -, mas perceber a beleza das descobertas e do encantamento. Para Bia, natal é luzes. Não tem magia e nem a cobrança de algo novo ou de saber seu real significado. Para ela basta ver, significa apenas o tangível. E se por ventura ela se lembrar do natal como a época das luzes, com certeza já será uma boa lembrança.

A todas e todos que acompanham este blog, um Feliz Natal! Espero que, no futuro, as recordações de 2014 seja do tipo que trazem felicidade só de lembrar. Beijo :*

Responder