Sobre sair sem filhos

Uma das coisas que sem dúvidas mudam muito após a maternidade é a sua vida social. Devagarinho (ou até bruscamente) seus amigos sem filhos se afastam de você (ou você deles). Natural! São rotinas totalmente diferentes. Se antes você ficava até às 4h da madrugada na balada, agora você está implorando a Deus por uma noite de sono que dure pelo menos até este horário. Além dos cuidados inerentes da criança, tem também a vontade de estar sempre junto. Quem não quer ficar cheirando seu bebezico por horas e horas? Eu amo o cheirinho dos meus nenéns (nem tão mais nenéns assim).

Logo, saídas são raras e no geral rápidas. Dificilmente você irá se programar para socializar em ambientes que não sejam baby-friendly ou com pessoas que, se não têm filhos, convivam bem com suas crianças. O ambiente, os horários, as pessoas são outras nesta nova realidade e pode ser inevitável sentir certa falta dos tempos em que nada disso importava.

Mas tudo é possível e, no último domingo, tive oportunidade de reviver um pouco da minha adolescência: show de graça na Torre de Tv, com amiga aventureira, sem hora pra voltar pra casa (a princípio). Foi bom. Muito bom! Colocamos o papo em dia, curtimos um som legal, vimos pessoas diferentes… E olha, nem foi a minha primeira vez como mãe na balada.

Foi bonito, foi. Foi intenso, foi! Mas eu senti falta dos meus meninos. Acreditem se quiser. Me senti meio velha no meio da juventude (e eu só tenho 25 anos). Me senti transformada, uma pessoa totalmente diferente. O ambiente era o mesmo de há 10 anos, mas a pessoa era outra. Eu sou outra, minhas prioridades são outras. Não fiquei até o final do show (porque além de tudo estava morrendo de sinusite) e fui pra casa só pensando nas crias, se já tinham jantado, tomado banho e dormido. Se eu poderia ver o sorrisinho delas antes de dormir…

Coisas de mãe!!!

Daí, quando cheguei em casa, meus dois tesouros me receberam com sorriso no rosto e uma vontade louca de estar junto (recíproca). Artur pegou na minha mão. Beatriz toda contente “você voltou pra casa!” Como se eu tivesse passado uma eternidade fora. Foi bom pra dar um pouco de leveza na nossa relação. Recomendo a todas às mães um pouco de “mundo exterior”. Além de sair da rotina, nos faz valorizar ainda mais os pequenos gestos da nossa prole.

Ps: um beijo pra amiga aventureira de todas as horas, Ana Célia!

4 comments

  1. Aninha says:

    Obrigada pela parceria de sempre! Gosto de estar com você, com seus filhos, enfim com toda a família. Muito bom dividir todos os momentos possíveis com vocês. Afinal, você é irmã de espírito. <3

  2. Gabbe says:

    Quando eu vou pro trabalho e chego com a Luna na porta gritando Mamã, já é a maior felicidade, quando eu saio e demoro muito então, é como você disse, parece que a gente passou uma eternidade fora!

    • Jéssica Macêdo says:

      Muito curioso isso, né Gabbe? Às vezes tenho a impressão que os meninos espicharam enquanto eu estava no trabalho. rs

Responder