Um pouco sobre ser mãe

Quando se é só filha(o), não reconhecemos os esforços paternos para nos dar o mínimo de conforto, estudo, carinho, amor, tudo isso ao mesmo tempo ou em parte, de acordo com as condições de cada pai. Nosso mundo é tão nosso, que não percebemos o alguém responsável por sua existência. Então, um belo dia, você se torna mãe/pai e, como num passe de mágica, cada palavra, por mais dura, dita por seus pais passa a fazer tanto sentido.

Mãe na balada

Não importa a idade da mãe ou da sua cria, ela merece ir à balada ao menos uma vez a cada três meses. Neste sábado, saí para dançar pela primeira vez desde que Bia nasceu. Apesar de já ter saído em outras ocasiões, tipo casamento de uma amiga, nada se compara à uma velha e boa balada. Te rejuvenesce e dá outro pique.